Destaques Noticias do Vale — 26 novembro 2017
Agricultores de S.J.R.P podem ficar sem seguro safra, mais 4 mil seriam atingidos. Vereadores de oposição querem sessão para debater o tema.

Cerca de 1500 agricultores de São João do Rio do Peixe podem ficar sem o garantia safra 2017/18. E que o prazo segundo o cronograma já se exauriu e o prefeito Airton não pagou nenhuma das 6 parcelas que seriam o aporte do município no programa. Os dados estão disponíveis no site MDA, o montante ultrapassa os 70 mil reais.

Diante da situação eminente de prejuízo para os agricultores a bancada de oposição se articulou na sessão de sexta-feira dia 24, apresentou um requerimento, solicitando para a próxima segunda, uma sessão especial para tratar sobre a temática. Além do sindicato da classe ruralista, associações e outras entidades deverão ser convidadas. O prefeito Airton e o secretário de Agricultura foram convocados para que também compareçam.

A sessão da “inchada” como está sendo chamada promete movimentar todos os que estão na expectativa e a mercê da falta de compromisso do governo municipal.

Caso seja confirmada a exclusão do município mais de 4 mil pessoas serão prejudicadas, isso por que cada família tem em média 4 pessoas. Como Sabem o homem do campo pode contar com este recurso para amenizar os prejuízos ocasionados pela perda, acima de 50% que pode se dar, por falta ou excesso de chuva.

“Não podemos ficar e braços cruzados enquanto o povo sofre. Se a prefeitura não tivesse gastado tanto com gasolina talvez sobrasse dinheiro para pagar ao garantia safra”, lembrou o vereador Rodrigo.

Já Riva autor da propositura, disse que é preciso que o homem do campo possa receber do gestor uma atenção que leve amparo a segurança.

Como agricultor, o vereador Humberto, destacou que o camponês vem sendo tratado com muito desrespeito além desse fator que pode causar uma perda imensa, o parlamentar disse que a estradas são a prova do descaso. Segundo ele apenas 10% foram recuperadas até agora. De acordo com documento a sessão acontecerá dia 27 seguindo o horário regimental.

Porém o que chega a ser esdruxula é justificativa do prefeito para o pagamento da contrapartida. Segundo dito na sessão, o gestor teme que chova dentro da media e o município fique fora como aconteceu esse ano. E se acontecer exatamente ao contrário, como ficarão os agricultores?

Ouçam os vereadores:

Rodrigo:

Riva:

Humberto:

Redação: Jotha Herre

Aconteceu tá no Folha

Artigos relacionados

Compartilhe

About Author

admin

(0) Ler respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*