Destaques Politica do Vale — 12 novembro 2017
Crise pode prejudicar programa pioneiro criado pelo prefeito de Bernardino Batista. Veja!

Um prefeito conhecido pelo bom equilíbrio das contas de seu município está prestes a engrossar a fileira dos que terão que fazer ajuste aqui, ali e acolá, para evitar que ao apagar das luzes, o ano feche no vermelho.

Gervasio Gomes do PSB de Bernardino, admitiu em conversa com nossa equipe, a dificuldade para manter o pagamento em dia e que as chamadas reservas, que haviam sido cuidadosamente acumuladas para situações emergenciais já não existem mais.

Com uma folha líquida que supera facilmente os 500 mil reais, as oscilações no FPM provocadas pela crise, levaram o gestor da terra do caju a cortar na própria carne. Em comum acordo, com as categorias, foram suspensas as gratificações, isso para que não ocorra atraso no pagamento. O ritmo acelerado de obras e serviços com as máquinas do PAC, também foram atingidas com a medida.

Porém um programa pioneiro e único no estado, que distribui renda com recursos próprios do município estava causando preocupação para os cerca de 500 alunos da EJA, que juntos recebem cerca de 25 mil reais por mês. O pagamento foi realizado no último dia 10, referente a outubro.

O prefeito disse esperar que no ano que vem, seu governo possa continuar com o Bolsa EJA, mas para isso, uma reação da economia nacional seria extremamente decisiva.

Redação: Jotha Herre

Aconteceu tá no Folha

 

 

Artigos relacionados

Compartilhe

About Author

admin

(0) Ler respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*