Destaques Politica do Vale — 28 setembro 2018
Osso Duro: Prefeito Airton sinaliza que não deve pagar Garantia-Safra 2019 e ironiza ao profetizar bom inverno.

Se depender da falta de compromisso do prefeito de São João do Rio do Peixe Airton Pires, os agricultores podem se preparar para um período duvidoso no que se refere às perspectivas de recebimento do garantia-safra para o ano vindouro, caso não tenhamos um bom inverno.

Em 2017 o prefeito não honrou a contrapartida do município, alegando dificuldade financeira e que esse valor poderia acabar se perdendo, caso não acontecesse perda na lavoura suficiente para gerar o pagamento do benefício, o que acabou fato acontecendo, ou seja são João ficou fora. Para safra 2018 mais uma vez o prefeito Airton Pires, não pagou a contrapartida do município e com isso a situação vai se complicando cada vez mais. Cerca de 70 mil reais, seria essa, a contrapartida da prefeitura, causando que ao ser ignorada, significa um prejuízo para que quase 4 mil pessoas.

Tem direito ao benefício, os municípios em que a perda na safra seja superior a 50%. Em declarações nesta quarta-feira ao Jornal da Manhã da Rádio Oeste da Paraíba, Airton, ao responder a pergunta de uma agricultora já sinalizou que provavelmente não pagará os valores que asseguram para agricultores o direito ao pagamento do Seguro-Safra para 2019.  O prefeito chegou a comentar o exemplo do ano anterior, onde o município mesmo tendo pagado, não foi contemplado.

Ayrton até ironizou a pergunta da ouvinte e “profetizou” que no próximo ano o inverno seria de grandes proporções. Perguntar não ofende… se Airton Pires não está tão bem com seus aliados políticos visto que alguns têm divergido de suas decisões no pleito deste ano, ele estaria tão bem com São Pedro ao ponto de saber, se chuva virá em abundância?

O fato é que os agricultores de São João, estão preocupados com essa situação, pois eles sabem que a gestão municipal está inadimplente com o garantia-safra. Para que o município volte a ter direito ao benefício, seria necessário o pagamento de 140 mil, referentes às parcelas anteriores que não foram quitadas pelo governo do município.

Para tentar minimizar a crise que surgiu em consequência da decisão do prefeito, ele defende que esses valores sejam convertidos, por exemplo, no corte de terra. O sindicato dos trabalhadores rurais deve nas próximas horas se posicionar sobre este assunto, aliás, a declaração do prefeito Airton Pires estremeceu em meio à classe ruralista.

Redação: Jotha Herre

Aconteceu tá no Folha

Artigos relacionados

Compartilhe

About Author

admin

(0) Ler respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*