Destaques Politica do Vale — 20 novembro 2018
Vereador da oposição coloca prefeito Emanuel Messias em “saia justa” quanto ao Instituto de previdência e revela esfacelamento em seu grupo.

Foto:Alto Sertão: Marcos Kleyber

O vereador Marcos Kleyber Gonçalves Fernandes, (MDB) de Santa Helena, em declarações ao Jornal da Manhã da  rádio  Oeste da Paraíba trouxe à “tela” vários assuntos  relacionados  ao  município.

Entre os  temas, Marquinhos lamentou a atitude  do Prefeito  Emanuel  Messias de não  ter  sancionado  o projeto de lei Nº 08/2018 que proíbe a CAGEPA que proibia a cobrança das taxas de religação e serviços dos consumidores, exceto,  quando a interrupção no fornecimento  tenha sido solicitado pelo próprio usuário. Diante do alcance social, a matéria foi aprovada por unanimidade no início  de setembro e acabou  prescrevendo sem  a sanção por  parte  do  Prefeito municipal. O parlamentar disse que ele, mesmo sendo da oposição, ligou para o gestor para convencê-lo, à sanção da matéria.

Marquinhos, também teceu críticas ao serviço de transporte escolar de responsabilidade do município e revelou que os pais ás vezes, são obrigados a pagarem para seus filhos não sejam prejudicados. Ele comentou, por exemplo, o caso de um ônibus [Amarelinho] que ficou meses na cidade de Cajazeiras exposto ao sol e chuva, enquanto o serviço deixava a desejar.

Um momento da entrevista que chamou a atenção foi quando o vereador disse que vai procurar a justiça para denunciar a justiça. Segundo o vereador, existem dezenas de denuncias contra Manoel Messias na Comarca de São João do Rio do Peixe, mas, que não saem do canto. Marquinhos assegurou que já contratou um advogado e que vai ao JTJ-PB e até mesmo em Brasília para cobrar uma explicação.

Quanto ao tema 2020, ficou evidente a insatisfação do mesmo, com os rumos tomados pelo seu grupo, aliás, numa colocação mais simples, Marquinhos deixou claro que não tem união e que há um esfacelamento entre a oposição. Um assunto de certa forma evitado e o qual ele tocou de forma superficial, foi na possibilidade de Corrinha Felix, continuar liderando este segmento. O vereador defendeu inclusive o surgimento de outros nomes. Ao ser colocado no “canto de parede” se aceitaria ou não o desafio, Marquinhos mostrou firmeza e disse em um tom bem entonado: “sim”. “Eu acho que não seria o momento, mas, se for preciso eu topo assim como topei ser vereador”, destacou.

Ainda na conversa com nossa equipe ele, colocou o prefeito Emanuel numa espécie de saia justa, quando ao se referiu ao instituto de previdência do município lembrando o valor deixado pelo antecessor de Emanuel. Além de questionar sobre o valor atual, chamou a atenção dos servidores daquela prefeitura, para quando forem buscar sua aposentadoria.

Para saber mais ouça:

Redação:

Áudio:Rádio Oeste

Aconteceu tá no Folha

Artigos relacionados

Compartilhe

About Author

admin

(0) Ler respostas

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *


*